segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Modernices !




Hoje em dia veem-se coisas do caraças. Ou tá tudo maluco ou sou eu que ando bebado e ainda não dei por isso. Deus queira que seja a primeira hipotese senão mais vale pôr já o meu nome na lista de transplante de fígado. No meu tempo, um gajo andava com a roupa toda certinha, sempre todo entaladinho ao ponto de vestir a t-shirt por dentro das cuecas e até aos joelhos para garantir que ela não ficava desfraldada e não parecer que usavamos fraldas. Hoje em dia há uma raça nova entre nós : os Bolselhos . Os bolselhos são aqueles gajos que usam as calças com os bolsos pelos joelhos. Não conseguimos perceber onde acaba o cú e onde começam os joelhos. É uma chatice do caneco, porque quando eles se abaixam para apertar o atacador dos ténis,  ninguém percebe se estão realmente a apertar o atacador ou se estão a tirar as chaves do bolso. Outra coisa que se ouve muito hoje dia é o termo Metrosexual . Mas que merda vem a ser isso afinal ?! A príncipio cheguei a pensar que fosse um gajo que tivesse a pancada de arejar a cerigaita no metro, mas não. Ao que parece, Metrosexual é um gajo que arranja as unhinhas, as sobrancelhinhas, rapa o pintelhinho de forma a deixar o pinóquio ao pendurão, pinta o cabelinho e faz madeixas e inclusivé já me chegou aos ouvidos que ....... que ......................... até me custa a dizer mas ...... usa maquiagem na fuça !!  é isso mesmo, besunta as beiças com batôn e mete base nas bochechas. Hoje em dia, um metrosexual é assim; antigamente, isto tinha um nome: granda paneleiro!
O respeito, por sua vez, já não é o que era. Temos o exemplo da Assembleia da República, do Parlamento, locais de grande respeito por tradição. Ora, com as modernices de hoje dia, a Assembleia tranformou-se num circo onde até já temos palhaços e tudo. Não me espantava nada que um dia destes vissemos o Victor Hugo Cardinalli como primeiro ministro, já que a entreter e a fazer rir o público, entre ele e o Socrates, a coisa tá ela por ela. Outra modernice que não compreendo são os bikinis. Todos nos lembramos dos filmes a preto e branco dos anos 50 em que as moças usavam autênticos cobertores para tomarem banho na praia, practicamente só deixavam as orelhas de fora, tudo o resto estava tapado. Hoje em dia a coisa tá um bocado diferente. Uma ervilha em cada mama e um fio de esparguete na maria caxuxa parece ser mais do que suficiente. Mais que isso já atrapalha o bronze. A forma como falamos com os nossos pais também mudou bué, quero dizer, bastante. Antigamente era mais ou menos isto:
- Paizinho querido, o senhor pode emprestar-me 5 mé reis para eu ir comprar um rajá?
- Minha filha, já fizeste os teus deveres ?
- Já paizinho. inclusivé hoje quando vinha para casa, ajudei 2 senhoras de idade a atravessar a estrada, ajudei a distribuir sopa pelos pobrezinhos e ensinei uma criança a lançar o pião.
- Muito bem minha filha, toma os 5 mé reis mas lembrai-vos: as 18h ides fazer trabalho comunitário na paróquia!
Hoje em dia, a coisa é um bocadito diferente :
- Oh velha, orienta aí 30€ para eu ir com a minha miuda para a pensão dar um pírafo!
- Zé Carlos, isso são maneiras de falar com a tua mãe ?!? são ?!? não foi essa a educação que eu e o teu falecido pai te demos.
- Fod*-**, c'um cara*** ! Já me tás a fod** o esquema todo ! Lá porque não dás a con* há 20 anos não quer dizer que os outros não o possam fazer . . .
(Entretanto a mãe cái redonda no chão com um ataque cardíaco)
- Olha olha ! Mesmo bacano ! A cota patinou! Que sa fod* .... onde é que ela tem a carteira com a guita ?!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

O Casamento Gay




Hoje acordei como normalmente faço, e ainda bem senão era capaz de ser mau sinal. Tomei o pequeno-almoço, e entre o  3º e o 4º palito da torrada, dei uma vista de olhos pelos jornais de referência - O Diabo, Tal e Qual e O Crime - e não é que me deparo com uma notícia bombástica : "Médicos franceses descobrem homem sem cerebro" . Trata-se de um fulano de 44 anos casado e funcionário público. Só nestas duas permissas - casado e funcionário público - apercebi-me logo que o gajo não estava a dar a tanga a ninguém, e que não tinha mesmo nada dentro da cachimónia. Achei uma descoberta fantástica, na medida em que pessoas com problemas idênticos, possam vir a ter uma vida normal. Como pessoa de bem que sou, tratei imediatamente de enviar emails ao Rui Patrício, ao José Socrates e ao José Castelo Branco a dar-lhes as boas novas. Até hoje não recebi resposta.  Vi ainda qualquer coisa em letras cor de rosa, que falava sobre um casamento gay. A príncipio não percebi bem, até pensei que tivesse ali dedo do Goucha ou da Belle Dominique, mas não, afinal tinham aprovado o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Quem não ficou nada contente, foram os transexuais. Quer dizer, andou um gajo(a) durante anos a brincar aos Legos com as partes baixas, encaixando e desencaixando, a tirar e pôr, a coser e a descoser, para de repente uma cambada de panel***** (nem chegam a ser gay's) virem dizer que basta estarem vivos para se casarem, independentemente de mijarem sentados ou em pé. Eu próprio já passei por uma situação um tudo ou nada semelhante. Ando aos anos a tentar acasalar a minha caniche anã com o mastim napolitano do meu vizinho do 2º andar, mas a única coisa que consegui criar foi o ódio dos vizinhos em relação à minha pessoa. Vou poder calar muitas bocas, agora quando me disserem "coitadinha da bichinha, porque é que nao acasalas tu com ele oh camelo ?", espeto-lhes com a proposta de lei que eles até ficam a bater mal. Finalmente vou poder ter o meu caniche napolitano ou o mastim anão, bastando para isso que haja amor entre eles - e que o mastim napolitano não coma o caniche à dentada - . O casamento gay é como os carros a gasóleo ou a gasolina : ambos têm as suas vantagens e desvantagens, depende do que fazemos com eles. Uma vantagem é no dia dos pais, termos o dobro das hipoteses de um dos pais aparecer naquela festa chata que nunca ninguém quer ir na escola dos filhos. Uma desvantagem  é termos de comemorar o dia da mãe com 2 marmanjos de bigodaça farfalhuda e com um peito de fazer inveja ao Tony Ramos.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Legalmente criminoso





Vivemos numa sociedade baseada no bom e no mau, no certo e no errado , no policia e no ladrão. Nos filmes, o bom fica com a rapariga mas não a come; por seu lado o mauzão, não fica com a rapariga, mas já a comeu tantas vezes  e de várias maneiras e feitios que mesmo que ela quisesse, era ele que já não queria ficar com ela. O bom acorda de manhã e come uma torradinha e uns corn flakes na cama; o mauzão acorda, olha pró lado e pensa qual das duas mulas vai comer - se a loira que tem um par da mamas que  nos tapa do sol no verão e nos protege da chuva no inverno, ou a morena que tem uma boca que mais parece uma garagem com capacidade para 4 viaturas. O gajo honesto e certinho é o otário de cabelinho com gel e óculos à Clark Kent que trabalha no banco. O criminoso é o bacano  de cabelo comprido e casaco de cabedal até aos pés  à Matrix, que assalta o banco. O verdadeiro criminoso tem armas suficientes em casa, para sozinho matar tudo o que é talibã e ainda voltar para casa com meia dúzia de balas nos bolsos. Se o feito mais notável que conseguimos fazer é dar arrotos de minuto e meio ou peidos em latim, então a criminalidade pode ser uma solução. Se não gostas de fazer nenhum, passas a vida de tasca em tasca e se vires uma nota de 5€ no chão não a devolves, então parabéns, tens tudo para ser criminoso. Daqui para a frente é só uma questão de practicar a criminalidade que há em ti. O mundo seria bem melhor se os criminosos tivessem uma educação criminal como deve ser, tipo uma Universidade Criminal :
- Oh Cajó, vais ter aulas ou queres ir ali vender umas ganzas aos putos da 4ª classe ?
- Népia Tó Gatuno, vou ter 2 horas de "Assalto a idosos" e depois vou ter teste de "Roubo por esticão" man . .
- Fónix, caga nisso então, vou prá aula de "Fraude bancária" com o Oliveira e Costa . .
- Na boa ! Pa, vou ter "tácticas de suborno modernas" às 18h30, vamos ter uma aula práctica com o Armando Vara, e depois o pessoal tá a combinar ir assaltar o MacDonald's, queres vir ?
- Xii má onda  . . prometi à minha velha que ia tirar as manchas de sangue e coser os buracos de bala das roupas .. mas amanhã assaltamos um Multibanco antes de vir para aulas ok? vá até logo, bons assaltos !
Há que dar mérito a alguns tipos de criminosos. O assaltante de bancos - do latim assaltantis bancariums - é aquele que faz de forma ilegal o mesmo que o dono do banco nos faz a nós legalmente. Os reféns são o spread do assaltante; são eles que garantem que ele não sai a perder. Um tipo de assaltante que eu aprecio bastante, é o que rouba por esticão. Um bom par de ténis, calças de fato de treino e boa coordenação é tudo o que precisa. Alguns conseguem mesmo dar o salto para patamares mais elevados, tal como Usaín Bolt, Ben Johnson, Carl Lewis etc . O mal da nossa sociedade é não dar valor aos criminosos; estamos a falar de pessoas que abdicam dos estudos, abdicam do trabalho, só para se dedicarem à arte da criminalidade e se tornarem criminosos à séria. Não custava nada aos governos atribuírem licenças de criminoso para se poder exercer a actividade ou reconhecer o crime como uma profissão, tendo inclusivé direito ao título de Dr. na  Universidade Criminal :
- Consegui pá !!!!
- Conseguiste o quê meu ?
- Acabei o curso !! Passei a "Esquartejamento de cadáver de um familiar" com 18 valores pa! Já tava a ficar à rasca man, já tinha mandado desta pra melhor a minha mãe, o meu pai, os meus dois irmãos e os meus avós ! C'um catano, só já me faltava o meu tio . . .

sábado, 19 de dezembro de 2009

O Natal





Todos os anos por volta do dia 25 de Dezembro , mais coisa menos coisa, é natal. É uma tradição que já nos acompanha há centenas de anos e que por isso, ninguem se debruça sobre ela. Excepto eu. O Pai Natal foi inspirado em São Nicolau Taumaturgo, arcebispo de Mira na Turquia, no século IV. Nicolau costumava ajudar, anonimamente, quem estivesse em dificuldades financeiras. Colocava o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das casas. O primeiro ponto a ter em atenção é o facto deste senhor de idade avançada, muito provavelmente imortal, entrar pela chaminé das pessoas. Acho uma tremenda falta de educação, já para não falar que acho bastante difícil que com uma pança do tamanho da que ele tem, consiga entrar pela porta da frente , quanto mais pela chaminé . E as pessoas ainda acham piada à coisa! Pior, ficam à espera que ele desça pela chaminé ! Ora, se eu visse um gajo qualquer, à meia noite, descer pela minha chaminé, munido com um saco para me afanar a casa, obviamente que lhe dava três ou quatro bastonadas no lombo. Mais valia ficar sossegado na sua casita, ver o telejornal, tomar os comprimidos para o colesterol e para os diabetes,  enfiar-se na cama e rezar para acordar no dia a seguir. Depois temos a questão da roupa ; parece-me óbvio que estamos a falar de um senhor que é sócio do Benfica, embora isso seja algo recente. Diz a história que a roupa do Pai Natal era verde, só passando a ser vermelha em 1931.  Isto leva-me a pensar que o facto do Sporting ter estado alguns anos sem ganhar campeonatos o terá feito mudar de ideias. Segundo esta lógica, o mais certo é um dia destes vermos o Pai Natal vestido de azul e branco e a trocar os bês pelos vês (vom natal e voas festas). Pelo que se sabe, vive na Lapónia, terra gelada onde -15ºC é o pico do verão. A meu ver, é uma opção errada para o Pai Natal, pois como é sabido, o frio dá cabo dos ossos e das articulações a um gajo, e a menos que tenha um bom ortopedista, cheira-me que deve andar sempre à rasca dos joanetes. Para mim o mais intrigante desta figura natalícia, é o facto de só haver "O Pai Natal". Não, não sou maluco, ou melhor, sou maluco, mas não neste caso. Passo a explicar; o que é feito da Mãe natal ? Já existiu ou não ? Para mim existem duas explicações possíveis : existiu uma Mãe natal sim , mas, devido aos sobejamente conhecidos efeitos que o frio têm sobre alguns apêndices do corpo masculino, o terá deixado e imigrado para a Califórnia onde com o calor, tudo arrebita; ou o nariz vermelho do Rudolfo, a rena do Pai natal, seja por andar a meter o nariz onde é chamado. É pena, porque era giro haver uma Mãe natal, uma Filha Natal, um Filho Natal, um Cão e um Gato Natal, em vez das renas tinhamos um Mercedes ou um BMW Natal, e por aí adiante. Mas não, em vez disso temos um velhote que ainda não descobriu um invento magnífico chamado Gillette, que cheira a peixe que tresanda e que deve ter a casa com brinquedos até ao tecto. Muito provavelmente não encontraremos calendários com meninas da Playboy na casa do Pai Natal; mais fácil será encontrarmos posters do ZooMarine ou do AquaShow, com bernardette, a leoa marinha, nas páginas centrais. Isto porque o seu romance com a Fátima Felgueiras não correu lá muito bem, pois ao que parece, o Pai Natal não gostou nada dela ter copiado a sua ideia. As únicas diferenças é que o saco da Fátima Felgueiras era azul e ao que tudo indica, conseguia carregar muito mais do que o saco do Pai Natal ! É a vida, Ho Ho Ho . . .

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

O Hospital




Por detrás da palavra hospital está uma instituição bem conhecida de todos nós. Podia dizer bordel que era igualmente uma palavra conhecida por todos, ainda que neste caso não fosse conhecida por detrás mas também pela frente, por cima, de lado, de baixo, na diagonal etc, mas vou-me centrar no hospital, que é afinal, o tema principal. O hospital acompanha o ser humano nas 3 fases da sua vida: o nascimento, a fase adulta e o bater as botas. Para aqueles que têm a sorte de não terem nascido no Pavilhão Atlântico a meio de um concerto do Tony Carreira ou no McDonald's, entre um big mac e um sundae de chocolate, muito provavelmente nasceram num hospital. Para aqueles que ainda estão a pensar no sundae de chocolate e a ouvir 'Sonhador sonhador, mas ao menos a sonhar' ,esta é a primeira fase, o nascimento. A fase seguinte é practicamente durante toda a nossa vida enquanto adultos, quando somos clientes assíduos destes estabelecimentos, uns mais que outros; é daqueles sítios que não convem nada frequentar com muita frequência senão entramos num grupo a que eu muito carinhosamente chamo de 'tou mais para lá do que para cá'. Nesta fase, o hospital só serve para uma coisa; faltar ao emprego. É a melhor desculpa possível para um gajo ficar em casa de chinelo a ler o correio da manhã e a ver que tipo de cortinado o Goucha vai trazer vestido hoje para a televisão. Isto, juntamente com o vizinho do último andar que por mero acaso e por obra do Senhor (aleluia irmão!! ) é médico e se sente eternamente grato por lhe termos arranjado uma box pirata da Tvcabo para ele poder ver a Sporttv e nos passa um atestado médico com um sorriso mais idiota que as figuras que o Ricardo Pereira faz quando tenta falar brasileiro.  Depois vem a última fase, que por sinal é um bocado desagradável, que é quando um gajo patina. Quando estamos num tunel escuro e lá ao fundo começamos a ver uma luz branca muito brilhante e de repente nos sentimos bem, das duas uma: ou estamos no metro e acabamos de dar aquele peido de minuto e meio que estava entalado nas bordas desde que nos levantámos para ir cagar de manhã, ou então é sinal que o S.Pedro precisa de mais um para jogar à sueca e para azar dos azares, tocou-nos a nós ! Mas o que realmente me fascina nos hospitais, é a Urgência. Usada pelos velhotes como local de convívio, torna-se num hobbie para eles, chegando ao ponto de nem saberem porque lá estão :
- Então Dª. Felizberta, que é que a traz cá hoje ?
- Olhe sôtôr, tou cheia de dores de cabeça
- Mas oh Dª. Felizberta, isso não é motivo para vir às urgências . . .
- Ai não? hummmm, nesse caso tenho . . hummmm . . . já sei! tou cheia de comichões debaixo da unha do dedo mindinho da mão esquerda !
- Oh minha senhora, por amor de deus !!
- Já sei, já sei !! sou ceguinha de um olho ! que tal ?
- Isso não é motivo para vir às urgências Dª. Felizberta, a senhora é ceguinha há 45 anos !!
- Hummmm . . . . . . . . . . . . . . por acaso não tem horas que me diga, não ?!
Isto para dizer que vemos de tudo nas urgências. Desde a senhora com o intestino perfurado devido a brincadeiras com o vibrador, ao homem de negócios que ficou com a cara igual à do Savimbi depois de ter comido marisco estragado. Há uns tempos tive um episódio para lá de gravíssimo numa urgência. Acordei com um terçolho. Como é obvio num caso de tamanha gravidade, não quis colocar a minha vida em risco e corri para as urgências. Ao chegar lá, a senhora do guichet diz-me que estão 1254 pessoas à minha frente, e que o tempo médio de espera é de 2 dias e 2 noites; liguei logo para casa a dizer para não contarem comigo para jantar. Ao meu lado estava um sujeito que tinha ficado sem um braço quando pescava caranguejos. À minha frente estava um marmanjo que tinha levado 5 facadas no coração e perdido mais sangue que uma mulher com o período . Fiquei chocado quando soube que estavam à minha frente para serem atendidos. Aquela russa que conheci no bar de strip também me destruíu o  coração e não foi por isso que corri para as urgências! Já não há homens como dantes. A coisa piorou quando um enfermeiro loiro de olhos azuis, de seu nome TóZé, de tanto eu piscar o olho, me veio entregar um papel em forma de coração com o seu numero de telefone.  Eu não teria ficado tão irritado com esta situação toda se não tivesse certeza que o terçolho me estava a incomodar dez vezes mais que o braço ou o coração dos outros dois, até porque entretanto conheci outra russa no mesmo bar de strip que tem mais elasticidade no corpo que uma barra de plasticina.
Se querem um conselho, utilizem os hospitais e as urgências quando estão constipados, com dores de cabeça, com unhas encravadas, boca seca ou em último caso, quando sentem azia. Em casos mais graves, liguem directamente para a funerária e não façam perder tempo a quem tem a vida em perigo, como foi o meu caso . . .

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O MultiBanco





Quem nunca o utilizou é estupido. Digo isto porque como  practicamente todas as pessoas existentes no planeta já o utilizaram, não se levanta a questão de estar a ofender alguém, e mesmo que ofenda aquelas quatro alminhas que ainda não desfrutaram dos prazeres do MB, tambem não há crise, é só levantarem-se, andarem 10 metros até ao MB da esquina e enfiarem o cartão na ranhura, o que por sinal até é bastante fácil e higiénico tendo em conta que já devem ter enfiado outras coisas em sítios bem piores. Portugal foi um dos últimos países da Europa a instalar estas máquinas. No seu ano de estreia, foram instalados 12 Multibancos no país inteiro; hoje em dia devem existir uns 12 MB's por cada habitante. Desde carregar o telemóvel, pagar a água, luz, gás, TvCabo, o MB faz de tudo um pouco, havendo inclusive relatos de pessoas que já o utilizaram para levantar dinheiro. Quando chegamos ao Multibanco, deparamo-nos com algo que se assemelha a uma máquina de lavar roupa mas sem a porta redonda de abrir e fechar. Depois de colocarmos a nossa data de nascimento, ups, o código pessoal quero eu dizer . . . aparece-nos um bonequinho que não é nada mais nada menos que um M&M's espalmado. Há ainda alguns Multibancos que se apresentam intactos; quero eu dizer com isto que existem ainda MB's com as teclas todas e em que nós não temos de levar um pack com teclas de casa se quisermos efectuar qualquer operação. Enfiar o cartão no MB não deixa de ser uma verdadeira aventura, pois nunca se sabe quando é que o bichinho tem fome e se lembra de nos comer o dito cujo. Para mim, é o mesmo que irmos ao Jardim Zoológico e enfiarmos a pilinha por entre as grades da jaula dos leões. O grande mal das máquinas MB, a meu ver, é o facto de serem automáticas. Com o desemprego a subir em flecha, não custava nada porem uma pessoa dentro de cada máquina, ia dar um toque mais pessoal à coisa ..
- Oh Zeca, tás aí dentro ?!
- Olha quem é ele !! Tás porreiro Quim ? Em que é que te posso ajudar?
- Pa, precisava de levantar 200€, pode ser ?
- Eh pa, já levantaste 400€ hoje, agora só amanhã oh Quim . .
- C'um catano oh Zeca, desenrasca lá isso pa . .
- Não dá oh Quim . . agora sai lá da frente do ecrã que tou à rasquinha para mijar
Hoje em dia existe uma moda nova no que toca aos Multibancos. Dantes, as pessoas iam ao MB para levantar e levar dinheiro para casa; actualmente, as pessoas levam o Multibanco para casa, bastando para isso ter um jipe ou uma carrinha com uma corda atada e força suficiente para o puxar. Não me parece que seja crime . É apenas a maneira de algumas pessoas dizerem que não gostam de ficar nas filas para pagar as contas e levantar dinheiro, por isso levam a máquina às costas fazendo-o no sossego e aconchego do lar. Uma maneira de travar esta moda cada vez mais popular, a que alguns chamam de crime (vai-se lá saber porquê. . .), é tornar as idas ao Multibanco mais agradaveis. Se temos o azar de apanhar uma daquelas velhotas de 187 anos que levam contas para pagar que nunca mais acabam, estamos desgraçados. A meu ver, enquanto ela paga as suas contas e as de metade da população portuguesa a julgar  pela quantidade abismal de papeis, o ideal era sermos servidos por um garçon. Já que vamos estar ali especados uns 20 minutos, pelo menos podem-nos servir qualquer coisa que se trinque ou se beba. Parece que já estou a imaginar-me na fila do MB, quando o empregado de mesa, vestido a rigor, com laço preto e tudo, me pergunta :
- Bom dia senhor, deseja algo ?
- Sim Ambrósio, dê-me uma sandes de couratos e um Sumol laranja.
- Muito bem, aqui tem senhor.
- (Arroto) Quanto é que é ?
- São 4€ senhor.
- Hummm, aceita multibanco ?!
- Lamento, mas só dinheiro . . .

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Ernesto, o Transexual




Ernesto trabalhava nas obras. Acordava todos os dias às 6h30 da manhã com o barulho dos seus próprios peidos. Levantava-se meio azambuado, dava um arroto de 6 segundos e meio, metia as manápulas dentro da cueca para ver se o abono de família ainda lá estava, não fosse a patroa ter-lho cortado tal foi a bebedeira com que chegou a casa na noite anterior, dava uma palmada nas nalgas para tirar a dormência e seguia para a casa de banho. Passava um bocado de agua no cabelo seboso só para dar aquela que tomou banho, descarrega meio frasco de desodorizante do LIDL e apara a bigodaça com um corta-unhas ferrugento que estava junto ao piaçaba. Era assim todos os dias, com excepção do domingo, que era dia de folga, ou como ele dizia, dia de ir à catedral ver o clube do Ensébio. Era o maior no obral. Campeão à 7 prédios de "quem vir mais gajas boas a passar debaixo do andaime  ganha" e especialista em dizer asneiras, asneiradas e palavrões, sendo o recordista da obra com 89 palavrões num minuto. Chegava do trabalho, estacionava a sua ford transit de mil nove e oitenta e dois (1982 ...), dava dois ou três peidinhos em jeito de foguete para anunciar a sua chegada e prontamente se sentava na mesa à espera do jantar. Quando era feijoada ou cozido à portuguesa, a patroa já sabia que o melhor era levar a máscara de oxigénio e os óculos de mergulhador para a mesa, tal era o estado dos intestinos do bicho. Depois de palitar as teclas de piano que ainda restavam, mascava uma chiclete para não ter de ir lá acima lavar os dentes, pois ver os resumos da bola é sagrado (mesmo da 3ª divisão amadora de iniciados do Uzbequistão). Chega a hora de dormir. Ernesto não podia dormir sem dar o pírafo da ordem na patroa, nem que para isso ele tivesse de lhe prometer que no dia a seguir a ia levar um sítio chiquérrimo :
- Ai Ernesto , que restaurante tão fino !! só gente bem vestida !! vamos entrar?
- F**@-**, filha da p**@ tá armada em fina oh car@*** !! Eu disse que te ia trazer a um sítio fino, não disse que iamos entrar...
Era assim a vida de Ernesto. Era. Digo 'era', porque já não é. Desde que viu um programa qualquer no Discovery Channel, nunca mais foi o mesmo. A gota de agua foi quando os seus colegas o viram a pintar coraçõezinhos em tijolos e a escrever "I lave íu"(o inglês não era o seu forte) nos baldes de cimento. Ernesto agora chama-se Bernardette com dois "t's", é loira com extensões, unhas de gel maiores que os dedos e sapato de salto alto. Trabalha em part-time no Boticário do Colombo e veste Hello Kitty da cabeça aos pés. Papa tudo o que é concerto do Ricky Martin e tem mais peluches no quarto que animais no Jardim Zoológico. Quem ficou radiante com a mudança foi a sua mulher, que agora, para alem de ter uma amiga com quem ver os programas da Oprah, consegue respirar o ar da sua casa sem precisar de usar máscara. 
Dizem os entendidos que transexualidade é uma condição considerada como um tipo de transtorno de identidade do género ; acho estranho, até porque eu quando estou transtornado com alguma coisa não saio por aí a cortar apendices do meu corpo, normalmente a coisa resolve-se com dois ou três gritos e um ou dois pontapés numa porta. Acho estranho. Uma lição eu aprendi com a história do Ernesto : nunca ver o Discovery Channel, passam lá uns programas estranhos comó car**** !!!

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

A dieta




É inverno. Altura de comer que nem um psicopata assassino no seu último dia antes de ir para a cadeira eléctrica. Porquê ? porque existe uma coisa chamada casaco, que, por sinal, não serve só para nos proteger do frio mas também para esconder as 3 toneladas de gordura que insistem em se alojar nas nossas barrigas. Isto porque o verão já lá vai, e todo o esforço que fizemos para passarmos do tamanho de elefante obeso para formiguinha etíope, parece agora não ter qualquer sentido. Comprámos batidos, sumos, comprimidos, chás e coisas de enfiar em locais somente de entrada,que vão agora para o lixo. Resultaram, é um facto, embora nos tenham feito cagar tanto que o nosso cú parece o de um chimpanzé com hemorroidas. Mas resultaram. As consultas no nutricionista ? deram resultado. Um pão por dia, 85 copos de agua, 6 ervilhas, meio tomate, 2 folhas de alface e num dia de maior loucura, perdemos a cabeça e podemo-nos dar ao luxo de colocar 1/4 de uma colher de café com manteiga magra no pão ! Meu deus, é a loucura total ! Dias não são dias e quem faz dieta também merece uma extravagância . . .
Nesta fase, e ao fim de uma semana a dormir apenas 2h e a tomar 16 comprimidos por dia (aliás, 32, assim emagrecemos mais depressa!! A gente é que sabe, os médicos não pescam nada disto!), já nos devemos parecer com um cruzamento entre o Michael jackson e a Olívia Palito, causando inveja a qualquer carocho do casal ventoso, somente com o pormenor de ainda termos grande parte dos dentes nas beiças. Está na altura do derradeiro teste: irmos à praia mostrar o nosso corpinho dentro de bikinis e calções que usámos quando tinhamos 12 anos e acima de tudo, tentar faze-lo sem desmaiarmos tal é a traça com que estamos. A moda de meter os dedos na boca para vomitar passou, sendo agora moda meter os dedos no cú para cagar. Dizem as más línguas que para além de fazer perder peso, para certas e determinadas pessoas, dá um gozo do caraças (grande abraço José Castelo Branco).
Acabado o verão, primeira coisa a fazer é apagar o numero da clinica do Tallon e tirar a morada dele do GPS, não vá cairmos em tentação. Em seguida, começamos com um quadradinho de chocolate por dia; quando damos conta já mandamos abaixo um chocolate inteiro. Já não temos controlo sobre o nosso corpo . Tudo o que virmos à nossa frente marcha pró bucho. É a fase da enfardadeira humana, um autêntico poço sem fundo. Torna-se realmente dramático e preocupante, quando paramos no Mcdrive e ouvimos uma voz dentro da casinha que nos diz:
- Olá sô zé, tá bom? é o costume ?
"O costume" é bom num restaurante onde os pratos são saladas, massas, sumos light etc, mas é muito mau quando esse restaurante se chama McDonald's . É sinal que passamos a fronteira do homo sapiens e estamos num nível intermédio entre uma orca assassina e um rinoceronte a precisar de uma banda gástrica. Mas como é inverno, e com 2 t-shirts, 3 pullovers, 4 casacos e 1 blusão de penas a coisa nem se nota tanto, podemos esperar até 2ª feira para começar uma dietazinha . . . ou melhor, esperar até ao início do mês que vem, visto que este já está perdido mesmo . . .  ou melhor, começar em janeiro, já que este ano está a acabar mesmo . . . ou melhor ainda, deixarmos passar o Carnaval e tal e começarmos a sério depois das festas . . . ou melhor ................................................ ou melhor ................................... ou melhor....................................................

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

A Menstruação





7h30 da manhã. Acordamos, calçamos os chinelos, vestimos o roupão, vamos em direcção à cozinha tentando esquecer os problemas do dia a dia e rezar para que tudo corra bem. A esposa está a tratar do pequeno-almoço. A torrada esturricada, o leite meio azedo e o queijo com bolor são pequenos avisos à navegação de que a coisa é capaz de não correr lá muito bem. Tudo piora quando olhamos para o calendário de Nossa Srª de Fátima e vemos uma cruz marcada a vermelho no dia de hoje. Se calhar é feriado e eu não sabia. A coisa piora quando vemos a caixinha das pílulas na mesa da cozinha. NÃOOOOOOOOO !!! Chegámos à semana do mês em que vemos os navios a passar mas nenhum atraca no porto. Pior que isto, só se tivermos dado as nossas poupanças todas ao Madoff. Chegou a menstruação ! Durante aproximadamente uma semana por mês, a mulher torna-se um bébé de fraldas. Fraldas ou de tampão - rolha vaginal, como eu lhe chamo - e de preferência cuecas vermelhas, não vá acontecer um tsunami lá para aqueles lados. Longe vão os tempos em que a Eva punha folhas de bananeira na cerigaita, daí o termo EVAX, em homenagem à primeira mulher no mundo a ter a menstruação. Sinceramente, não vejo grande utilidade na menstruação, antes pelo contrário, é para mim, a causa número um para as traições conjugais. Quem agradece são os bares de strip, que durante uma semana por mês, aumentam a clientela ao mesmo nível que o engº Sócrates aumenta as suas escutas. A mentruação é como o intervalo daquele programa de televisão que gostamos; vamos mudando e experimentando outros canais até o nosso programa voltar a dar . . .
Acho incrível como as mulheres conseguem andar nesta situação uma semana. Uma vez mordi a língua e sangrei mais de 5 minutos sem parar. Já rezava aos santinhos, aos anjinhos e até prometi a mim mesmo, nunca mais enganar o homem do café nos trocos. Numa altura em que se pede a torto e a direito ás pessoas para darem sangue, fazem-se campanhas a nível nacional para se encontrar dadores com o objectivo de repor os stocks nos bancos de sangue, acho que é um crime o desperdício que as mulheres fazem com a menstruação. Eu, como ser bondoso, gentil e humano que sou, se amanhã me aparecesse o período (menstruação é para as mulheres!), tinha o nobre acto de guardar em saquinhos de plástico do Modelo ou do Continente, todas as descargas sanguíneas provenientes do meu organismo através do . . . . . . . bom, através de onde quer que elas saíssem. Como hoje em dia tudo tem nome, inventaram uma coisa chamada TPM , Tensão Pré Menstrual, que segundo estudos efectuados por mim há coisa de 5 minutos, atingem cerca de 75% da população feminina. A TPM inclui sintomas como depressão, tristeza, cansaço, choro fácil, dores de cabeça, falta de esperança, raiva, irritabilidade, tensão (com "N"), nervosismo e mais 16,785 sintomas que sinceramente e a esta hora, não tenho pachorra nenhuma para estar aqui a pôr. A TPM é uma semana de folga que a mulher tem dela própria, pois à mínima coisinha - "desculpa querido, tou com TPM"- e o homem como não quer fazer figura de parvo e perguntar o que raio é isso do TPM, mas vê logo que coisa boa não é, diz -"desculpa fofinha, não sabia"- virando-se para a mesa de cabeçeira à procura da secção de prostitutas ao domicílio nas Páginas Amarelas.

domingo, 6 de dezembro de 2009

A Diarreia





Se estiveram a comer e estão a fazer a digestão ou se pensam em comer nos próximos . . . . digamos, 3 dias, então é melhor pensarem duas vezes e se calhar a melhor opção será mesmo carregarem nesse X vermelho que têm no canto superior direito da página, caso contrário, estão por vossa conta e risco. Em primeiro lugar , acho importante mencionar que detecto uma estreita relação entre a diarreia e a perda de memória. Isto porque as pessoas que têm diarreia tendem a "esquecer-se" dela :
- Oh  Sr. Silva, o sr ontem não veio trabalhar ??
- Não chefe, tive mal do estômago e tal . .
- Pessoal !! o Silva anda a cagar fininho !!
Toda a gente já teve diarreia e muito provavelmente vai voltar a ter. Não é vergonha. É simplesmente muito mau, só isso. Graças a Deus que temos uma coisinha no nosso corpo chamada esfíncter que funciona como travões com ABS para a diarreia, senão a coisa tomava proporções Dantescas. A diarreia é um luxo, só nos visita uma ou duas vezes por ano, e como qualquer visita indesejada, não nos avisa com antecedência, só quando já está à porta. Eu considero a diarreia uma forma de pintura não convencional de locais e de objectos, em que não se usa nem as mãos nem um pincel. A diarreia é uma mais valia para o nosso rabo, fazendo com que este seja a Bimby do nosso corpo, pois ele consegue trabalhar com sólidos, líquidos, meio-termo, consegue fazer sair vapores e, em casos extremos, consegue fazer entrar os objectos mais estranhos de que há memória. A diarreia tem vida própria, escolhe quando e onde vai atacar. Tem tendência para aparecer em sítios públicos, locais com bastante iluminação e onde a casa de banho mais próxima fique a pelo menos 5km de distância. Se começamos com suores frios, contracções na barriga sem estarmos grávidos, e temos um prato de feijoada vazio à nossa frente, é caso para dizer "deixa-me mas é ir embora daqui senão vou-me borrar pelas pernas abaixo" . Se fizermos parte daqueles 11% de sortudos que conseguem atingir uma casa de banho a tempo para parir o bicho, deparamo-nos com um dilema: Se abrimos as goelas e a deixamos sair à vontade, e tendo em conta o eco das casas de banho, mais vai parecer que estamos a festejar a passagem de ano do que outra coisa qualquer ; ou tentamos a técnica do alpinista, que consiste em fazermos uma descida lenta e controlada minimizando os ruídos ao máximo. Ora, e por experiência própria, esta técnica só tende a irritar mais o bicho fazendo com que após  aquela que nós pensávamos ser a última esguichadela, venha uma autêntica avalanche anal. Por experiência própria eu quis dizer através de um primo de um irmão de um amigo de um amigo meu . . .
Depois do caldo entornado e da pintura borrada ( neste caso, sanita borrada), vem a operação de limpeza. Os estragos da diarreia podem ser divididos em 3 níveis na escala de Merdichter :
Nível 1 - Danos meramente superficiais na sanita, podemos limpar o cú e ir embora.
Nivel 2 - Impacto violento contra a superfície da sanita. Não só pintámos a sanita de castanho esverdeado, como também as nossas pernas; limpar o cú não ajuda, é imperativo tomar um duche.
Nível 3 - Deste à luz Hiroshima pelo cú. Incrível como se pode criar um tsunami numa sanita. O tecto da casa de banho, em tempos branco, agora, de branco já não tem nada. Alguém vai ter chamar a equipa do "Querido, Mudei a Casa!" se quiserem voltar a utilizar a casa de banho.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

O Astronauta




Mas afinal, o que é que é isso de ser astronauta ?! é uma profissão ou é um hobbie ? descontam para o Estado?  fazem o IRS? quem são estas pessoas que ninguem conhece, ninguem sabe quem são, ninguem sabe onde param, onde vivem, o que fazem, enfim, são pessoas que metem o homem invisível a um canto de tão estranhas que são. Há quem diga que os astronautas são pessoas que andam sempre com a cabeça no mundo da lua, mas assim sendo, 50% da população mundial era composta por astronautas. Todos nós temos como vizinho o Zé do talho, o Carlos da padaria, a Dª Hermínia da frutaria e por aí adiante, mas não conheço nenhum relato de astronauta como vizinho:
- Oh querido, vai lá acima ao vizinho do 3ºB pedir uma dúzia de ovos.
- Rais parta a mulher . . . a quem ?
- Aquele senhor da lua, ao astronauta ou lá o que é.
A meu ver, não os podemos levar a sério, pois estamos a falar de pessoas que passam a vida inteira a treinarem-se para algo que já sabem à partida que não vão fazer, pois parece que viajar até à lua foi só uma vez, e dizem as más línguas que os que lá foram acharam aquilo um bocado desenchabido; não tem discotecas, bares de strip e sobretudo não tem Mcdonald's, o que eu acho um absurdo nos dias de hoje. Quase que aposto que em Marte já deve haver um franchising deles, qualquer coisa do tipo MarteDonald's. A próxima etapa é Marte. Curioso como os seres humanos conseguem ser estúpidos que nem uma porta. O que é que interessa ir para planetas longe como o caraças, onde sabemos que não vamos encontrar nada para alem de pedras, pedrinhas e calhaus, e depois vir a público dizer que isso nos vai ajudar a perceber melhor os segredos e a própria criação do nosso planeta Terra ?!? Será que ainda ninguém os avisou que isto tá quase a dar o berro e que interessava mais tentarem arranjar uma solução para andarmos cá mais uns anitos do que dizer - "isto começou tudo com uma explosão que lançou umas pedrinhas e uns pózinhos que mataram os bichinhos todos e tal" - eu quero é saber como é que se evita outra explosão dessas !! Quando Iuri Gagarin (1º homem a atingir o espaço) viu a Terra do espaço, pronunciou as seguintes palavras : "A Terra é azul. Como é maravilhosa. É surpreendente." Até então, não se sabia da cor do planeta. Não sei porquê mas isto deixa-me desconfiado que houve ali dedo do Pinto da Costa, mas pronto, não vou alimentar polémicas senão dizem que tenho a mania da perserguição. O astronauta é uma pessoa que passa mais de 1 ano no espaço durante as suas missões, o que me faz colocar a questão: para onde vão os cócózitos e os xixis ? para o espaço, como é óbvio. Tendo em conta que o homem já anda no espaço há uma data de anos, imaginem a quantidade destes objectos que nao andará perdida por essa galáxia fora. Um conselho a futuros astronautas: nunca abram a janela da vossa nave em pleno espaço, pois será igual a meterem a cabeça na sanita e a puxarem o autoclismo. Com a crise que se alastra pelo mundo inteiro, acho vomitante e ultrajante que se gaste milhões em viagens espaciais; Podiam dar-mos a mim. O simples fato de astronauta é 3 vezes um balúrdio. Com o dinheiro que se gasta nos fatos e nos apetrechos dos astronautas, podia-se alimentar as populações que passam fome. Caso não lhes queiram dar o dinheiro, deem-lhes os fatos em si, pois com a fome que esta gente tem, aposto que o fatinho até sabe a gambas . . .

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Saramago




Quase toda a gente o conhece. José Saramago, o famoso escritor português, que juntamente com Manoel de Oliveira, insiste em atazanar-nos o espírito há pelo menos 3 séculos. Estabelecendo uma analogia, podemos dizer que  Saramago está para os livros assim como o Manoel de Oliveira está para o cinema. Os dois devem ter feito um acordo para serem os últimos sobreviventes à face da terra, pois tudo o resto vai e vem e aqueles dois parece que criaram raízes. Segundo as minhas contas, Saramago terá hoje em dia, cerca de 2000 anos ao invés dos 87 que diz ter. Isto porque só alguém que tivesse vivido na época de Jesus Cristo e inclusive tivesse sido seu amigo pessoal, conseguiria escrever um livro como o Evangelho segundo Jesus Cristo, onde relata e descreve situações tão pormenorizadas e reais que me leva a crer que ele próprio esteve presente na última ceia de Cristo embora não apareça na pintura pois de tão velho que é deve ter comido que nem um alarve e foi-se deitar mais cedo com um kompensan no bucho. Os seus livros são acima de tudo, chatos como o caraças. Estou convencido que as pessoas os compram por pena - "Ai coitadinho do senhor saramago , tão velhinho e ainda a escrever coitado . . . deixa-me mas é comprar um livrito ou dois para o ajudar que com a idade que ele tem deve gastar um balúrdio na farmácia" . Ora, isto leva-me a outra conclusão, que é a de que não é possível ser ele a escrever os seus livros. Eu se ficar aqui mais de meia hora fico à rasca dos olhos, quanto mais um velhote de 87 anos que acorda às 8h da manhã para ver o Goucha e adormece no sofá da sala cheio de baba nas beiças a ver os programas da RTP Memória. Para alem de ser imortal, é também um visionário, pois em 1995 escreveu um livro intitulado Ensaio sobre a cegueira , onde já nessa altura previa o que iria acontecer aos doentes do hospital de Stª. Maria, e em 2005, também seguindo os seus dotes de visionário, escreve As intermitências da morte, que bem podia ser uma autobiografia, pois leva-me a crer que ele já sentia que estava mais para lá do que para cá. Em 2004 escreveu ainda o Ensaio sobre a lucidez , embora nao tenha passado disso mesmo, um ensaio, pois nesta fase, lucidez é coisa que não abunda por esses lados. Ao que parece, existem mesmo pessoas que parecem gostar dos longos e chatos conjuntos de letras que ele passa para o papel, pois ganhou o Prémio Camões, o mais importante prémio literário da língua portuguesa( ou como eu gosto de lhe chamar, o prémio do zarolho). Ah, já me esquecia, também ganhou um Nobel de literatura ou lá o que é. O que me faz um bocado de espécie, pois uma pessoa que num livro inteiro é capaz de só usar 5 vírgulas, é obra ! Um conselho:  se lerem um livro do Saramago, tenham a jeito uma máscara de oxigénio, pois vão precisar dela de certeza . . .

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

A Fralda




Ora aí está aquilo a que eu chamo uma palavra de m****. Todos nós as usámos, fossem elas de uma forma mais artesanal e rústica ou um mimo do modernismo. As fraldas são usadas em duas fases distintas da nossa vida: quando nascemos e quando atingimos uma idade mais avançada, se bem que nesta última fase, o uso de fraldas é sinal que já começamos a dever um ou dois anitos à cova. A questão que se coloca, ou melhor, a questão que eu coloco, já que nunca vi ninguém ter esta preocupação, é o que se passa neste meio termo, ou seja, porque é que deixamos de usar fraldas em adulto. Se fizermos as necessidades pelas pernas abaixo em bébé, as pessoas até acham engraçado - " ohh que coisinha mais fofinha, fez cócózinho pelas perninhas abaixo " - e em velhotes a coisa também não é muito grave já que estamos sozinhos em casa e só passados 5 dias é que os vizinhos começam a dar por isso - "filha da p*** do velho já se borrou todo outra vez" . É em adulto que a fralda se torna essencial. Quantas vezes nos deu aquela vontade de ir ao W.C a meio de um filme no cinema, aguentamos 1h30m , até que chegamos ao dilema : mijo para o copo das pipocas ou vou à casa de banho? o problema é que quando voltamos da casa de banho, acabamos de perder o fim do filme e a única coisa que vemos é um ecrã preto com 3 milhões de nomes a passar e os casais de namorados a levantar as saias e a apertar as calças. Dava jeito uma fraldinha não dava?! Regressar do trabalho a uma 6ª feira em hora de ponta pode ser outra situação em que o uso de fralda evitava inúmeros inconvenientes, tais como tentarmos mijar para uma garrafinha de plástico de 0,33cl de agua Luso, quando olhamos para o lado e temos uma carrinha cheia de criançinhas de boca aberta a olharem para nós como se estivessem no circo a ver os palhaços. Isto para não falar daquela feijoada que comemos ao almoço decidir que o nosso corpo não é o local mais apropriado para ela passar o fim de semana, e então dá-nos 2 murros no estômago e decide sair sem aviso prévio, deixando-nos com um estofo do carro castanho amarelado em vez do cinza claro que vinha de origem. É agora moda usar fraldas reutilizáveis, e porquê? porque dizem os Fraldianos (uma versão dos nossos dias dos Freudianos) que cada criança que utiliza fraldas descartáveis produz cerca de uma tonelada de lixo e para produzir as ditas fraldas é necessário abater  7 arvores, para além de uma fralda descartável precisar  de 500 (!!) anos para se decompor. Acho um bocado nojento. É o mesmo que lavarmos o papel higiénico usado, deixá-lo ao sol umas horas e depois de seco, voltar a usá-lo. Não é mais fácil reciclar o cócó dos bébés ? Cada pacotinho de Cerelac custa cerca de 0,70€, se após ser expelido pela criança este fosse reciclado, colocado de novo na embalagem e reaproveitado, repetindo este processo várias vezes usando o mesmo pacotinho de Cerelac, imagem o que não iamos poupar. As fraldas são o único objecto que não acompanhou a evolução tecnológica. Porque é que não fazem fraldas com Rádio FM? enquanto iamos passear os miúdos podiamos ouvir o relato da bola. Ou por exemplo, fraldas com GPS integrado minimizando o risco de perder os nossos rebentos, ou mesmo um dispositivo como o das pilhas Duracell, em que carregavamos nas 2 extremidades da pilha e um tracinho mostrava a quantidade de energia restante, neste caso  para saber a quantidade de cócó e xixi. Para mim uma fralda só vai ser 100% segura, a partir do momento em que a dita cuja aguente a urina de um elefante africano adulto sem deixar sair uma pinguinha que seja . . .

domingo, 29 de novembro de 2009

Sondagem nº3




A quem atiravas um balde de diarreia? , foi este o tema da última sondagem. José Socrates, José Cid, José Malhoa ou José Saramago eram as hipoteses possíveis. Este é um tema muito particular e muito pessoal, pois eu considero a diarreia um privilégio e um acto muito nobre e especial, pois quando a temos há que saber aproveitá-la, já que apenas aparece uma ou duas vezes por ano. Devo dizer que fiquei escandalizado com os votos no José Malhoa e no José Cid, especialmente neste último, pois coitado do homem já não basta ser zarolho, desdentado e ter peruca, também há pessoas que o querem ver coberto de diarreia. Nem a mania de ser atrevido e de ser do contra fez com que Saramago fosse o eleito numero um para o balde de diarreia. O facto de já estar mais para lá do que para cá e já dever mais de 32 anos à cova, a meu ver, salvaram-no de levar com o balde de diarreia. Balde esse que, segundo a maioria dos votantes (45%), cabe por direito próprio ao Mestre das Escutas, the one and only, José Socrates! Socrates, figura presente em todas as sondagens das IntimidadeS PublicaS, conseguiu levar com um suculento e aromático balde de diarreia, o que eu considero ser um privilégio ao alcance de  muito poucos (eu dispenso . . .) !

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Os Ricos




Sempre ouvi dizer que para se ser considerado rico era preciso ter uma conta bancária com 8 digitos. Durante anos pensei que era rico, até me dizerem que ter uma conta bancária com 8 digitos é um bocado diferente de ter 8 euros na conta. Aí as coisas mudaram de figura, pus-me a pensar e cheguei à conclusão que para uma pessoa deixar de ser rica basta não ter dinheiro. Tá explicado o facto de 95% da população mundial ser pobre. Não é fácil ser-se rico ; uma vez tentei juntar 5,000€ e contas feitas após ter dado a minha ajuda para as férias dos senhores ministros, ou por outras palavras, após ter pago IRS, IVA, contribuições autárquicas etc, fiquei reduzido a uns magros 285,37€. Agora imagino o que não passam os coitados dos ricos que conseguem juntar verdadeiras fortunas, o trabalho que eles têm, realmente merecem ser ricos. Para mim, os ricos não passam de pobres com dinheiro. Os ricos não comem em restaurantes pobres - eles compram o restaurante pobre, fazem obras e abrem um restaurante de 5 estrelas - Aí sim, podem lá comer. Rico que é rico tem pelo menos 3 filhos, mora numa mansão com jardins, piscina e court de ténis e mesmo que não saiba pegar numa raquete, dizem que o ténis é um desporto chique. Este senhor da classe alta é casado com uma mulher pelo menos 20 anos mais nova, que se apaixonou loucamente por ele à primeira frase e não à primeira vista, isto porque assim que ouviu dizer - "Aquele ali é rico !!" - sentiu uma sensação de qualquer coisa a que eu, muito simpaticamente vou chamar de interesse amoroso, só para não a chamar de grandessíssima P***. Os ricos não têm carros, têm automóveis; quem tem carros são os pobres. Pelo menos 7 têm de estar na garagem; um desportivo de luxo, um familiar de luxo e um jipe. Depois temos o carrinho mais pequeno para a dona da casa (mais pequeno não é devido ao preço, mas porque assim evita os arranhões e as amolgadelas a estacionar) e os carros dos filhos, um para cada. Falta só o motão do ricalhaço, que fica parado o ano todo e só vai para a estrada quando ele tem crises de meia idade e se arma em rebelde e vai dar uma volta com os implantes capilares (que lhe custaram para cima de uma fortuna..) ao vento. O avião é uma necessidade para os ricos de hoje. Numa sociedade onde tempo é dinheiro, perder minutos preciosos no trânsito é a morte do artista. O avião privado torna-se assim indispensável, até porque tem uma grande vantagem : a EMEL ainda não tem bloqueadores para veículos aeronáuticos. Não me admirava nada que pelo andar da carruagem, um dia destes, quando formos a caminho do trabalho às 7h30 da manhã, cheios de sono, com aquele bafo a ténis de futebol da boca e com tanta fome que até eramos capazes de comer uma toalha de bidé, vejamos um gajo atrás de nós a fazer sinais de luzes e dar uma buzinadela tão grande que só com o susto nos borramos todos e temos de voltar a casa trocar as calças e deixar o carro na oficina para limparem o estofo. Esse gajo que nos fez sinais de luzes e buzinou é  o ricalhaço que já está atrasado para a massagem e para a pedicure, e que há falta de lugares para estacionar, resolve parar mesmo em frente à estatua do Marquês de Pombal . .

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Ilusionismo Político





Quando se pensa em ilusionismo, vem-nos à cabeça nomes como Luís de Matos (em inglês, Louie of the Bushes), David Copperfield ou Houdini. Pessoalmente, eu colocaria o Pai Natal na lista dos maiores ilusionistas de sempre, não só pelo tamanho da sua barriga mas porque acho que qualquer homem na casa dos 80 anos, obeso, com barba até ao umbigo e com um saco preto maior que o saco azul da Fátima Felgueiras, que consegue estacionar um trenó cabrio de 2 renas em cima de um telhado sem que a EMEL o bloqueie e que  sobe e desce pela chaminé das casas sem ficar entalado e sem que ninguém dê conta, é para mim, um ilusionista. Tirar coelhos da cartola, adivinhar cartas, cortar lindíssimas mulheres ao meio ( nunca percebi porque é que não cortavam as feias ), são ilusões que já vimos inúmeras vezes e que apesar de grande parte da magia já ter sido desvendada pelo homem da mascara ( para mim é o Spider-Man que após o último filme ter ficado no desemprego, arranjou um tacho a desvendar segredos de magia), continuam a fascinar os espectadores. Existe hoje em dia um novo tipo de magia, ou ilusionismo, como lhe queiram chamar, a que eu dou o nome de Ilusionismo Político. Expoente máximo desse ilusionismo é José Sócrates (Joseph Socrates) . Proveniente de uma família de ilusionistas, tio e sobrinhos também o são como se viu no Freeport, tem dois números de magia fantásticos;  num deles consegue fazer desaparecer uma dúzia de escutas e no outro consegue controlar a mente de 10 milhões de pessoas ao mesmo tempo fazendo-as colocar uma cruzinha no nome dele. Paulo Portas é outro ilusionista político do mais alto nível. Conseguiu fazer desaparecer vários caças e submarinos sem que até hoje, ninguém ainda tenha descoberto o segredo por detrás deste complexo número de . . ilusionismo. Mas não julguem que o ilusionismo político está reservado só para homens. Fátima Felgueiras tem como imagem de marca o truque do saco; um saco normalíssimo que se enche de dinheiro vindo do nada e que de repente desaparece. Conta a lenda, que a última vez que fez este seu número em Portugal, desapareceu e foi aparecer a 8000 km de distância. Armando Vara consegue transformar sucata em ouro e Ana Jorge consegue transformar um bocado de ranho, tosse e febre numa gripe epidémica.
Se um dia a Paris Hilton se dedicar à política, tem o seu lugar garantido entre os ilusionistas políticos, já que tem um truque fantástico; consegue transformar qualquer um dos seus namorados num boi , tal é a seriedade desta menina  . . .

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Sondagem nº2




Está na altura de pôr os dentes de coelho, deitar uns gafanhotos e imitar o prof. Marcelo para dar a minha opinião sobre os resultados da sondagem Quem é o menos corrupto?. José Socrates, Pinto da Costa, Silvio Berlusconi e Lucílio Baptista eram os nomes na mesa. Partindo do príncipio que todos aqueles que votaram sabem a diferença entre "Mais" e "Menos", não estavam sob influência de qualquer tipo de bebida alcoólica ou estupefaciente ou  possuídos por algum espírito do Partido Comunista, devo dizer que fiquei mais do que muito surpreendido, arriscando mesmo a dizer que fiquei muito muito surpreendido com o resultado. 63% elegeu Berlusconi como o menos corrupto. Isto coloca-me uma dúvida; será que as pessoas acreditam mesmo que foi à pala do trabalho arduo que ele chegou a primeiro-ministro italiano, líder de um partido político, proprietário do império italiano de media Mediaset, além de empresário de comunicações, bancos, entretenimento e presidente do AC Milan, já para não falar que é o homem mais rico de Itália segundo a revista Forbes, ou será que que as pessoas pensam que os outros marmanjos ainda conseguem ser piores que ele ?! José Socrates não teve um único voto, o que espelha bem a confiança que os portugueses (e acho que também já entrou aqui no blog um gajo do Zimbabwe) têm na sua seriedade. Pinto da Costa e Lucílio Baptista tiveram ambos 18% , o que me diz que, por um lado, o que o presidente do Futebol Clube do Porto me pagou não chegou para eu adulterar a verdade da votação, e que existem 2 pessoas que não assistiram à final da taça da liga em março do ano passado . . .

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

A Roulote





A roulote. Esse sítio mitico da restauração nocturna. Que venha o primeiro que nunca descascou um cachorro daqueles cheios de molho e batatas que não só não nos cabem nas beiças como nos sujam os sapatos deixando uma camada de 2 cm de gordura em cima deles, ou uma bifana acompanhada de uma cerveja meia choca por vezes (ou devo dizer um naco de gordura de porco com um bocadito de carne agarrada?! ). Para mim, a roulote é o Gambrinus dos pobres.
Uma vez fui a uma roulote e pedi uma bifana:
- É p'ra comer aqui ou é p'ra levar?
- Nem uma coisa nem outra, é para passar
- P'ra passar ?!
- Sim minha senhora, para passar no cabelo que acabou-se me o gel e vou ter com duas gajas agora . .
Isto para vos exemplificar que a qualidade técnica dos chefs de cozinha das roulotes não prima pela excelência, embora sendo 95% deles profissionais de renome internacional da cozinha de roulote brasileira. Um facto engraçado é que toda a gente fala mal das roulotes enão sei quê, mas quando a fome aperta todos lá vão parar. À excepção dos muito ricos que não têm fome mas sim vontade de comer, toda a gente quando tem fome come as iguarias destes restaurantes móveis. Iguarias essas que passam pelo pedaço redondo de carne proveniente de animal desconhecido, colocado entre 2 fatias de pão e com 24 acompanhamentos a que se dá o nome de hamburguer; o pão com salsicha gigante que mais parece um fémur e que desaparece completamente no meio de meio kilo de batata palha; a famosa bifana que se fizerem a experiência de espremer o pão para dentro de um copo, chegam à magnífica conclusão de que já não precisam de sumo para acompanhar; e o mais fantástico de todos para mim, a pita. A pita shoarma é um mistério ao nível dos fenómenos do Entroncamento e de Roswell, pois não passa de um frango que não sabe a frango, sem pernas e sem asas, colocado a assar de pernas para o ar. As roulotes de hoje em dia são autênticos mimos de tecnologia e repletas de modernidades. Desde os Lcd's aos sistemas de som, passando pelos neons e acabando num pormenor simplesmente inacreditável que é o MB (MultiBanco). Sim, muitas roulotes já têm Multibanco, o que eu acho incrível pois não deve ser nada agradável no fim do mês quando nos chega o extracto do banco a casa e vemos :
Código           Entidade        Descrição          Valor debitado       Saldo
Pagserv.           rolote            bifana                   3,5€              -426,34€

Faz lembrar aquele arrepio na espinha que nos dá quando estamos com diarreia mas mesmo assim queremos arriscar e dar aquela bufa que tá entalada há mais de 45 minutos.

domingo, 22 de novembro de 2009

Prostituição




A prostituição pode ser definida como a troca consciente de favores sexuais por interesses não sentimentais, afectivos ou prazer. Bonito sim senhor, fica sempre bem um gajo começar com uma frase que , embora faça sentido, ninguém percebe mas também ninguém dá o braço a torcer e diz " eh pa, não percebi patavina". Digam o que disserem , venha quem vier, prostituição para mim é Monsanto; é a única palavra que me vem à cabeça quando me falam em put . . . prostitutas. Em crianças, vamos para Monsanto brincar nos baloiços, jogar à bola, pular, correr; em adultos, vamos para Monsanto brincar ao kamasutra. Sempre me questionei porque é que em Monsanto só havia guardas florestais do sexo feminino e porque é que todas elas usavam mini-saias e decotes avantajados. A questão tornou-se mais persistente quando para meu espanto, vi as mesmas guardas florestais á porta do Instituto Técnico. A coisa podia ficar por aì, não fosse o facto de no técnico não haver uma única arvore num espaço de  500 mts, daí eu começar a achar aquilo estranho. Certo dia ganhei coragem e abordei uma delas: 
- Boa noite!
- Olá fofo, queres um bico ?
Virei costas. Não percebi o que é que eu fiz para ela me querer dar um pontapé no cú.
Para mim, as prostitutas são seres genéticamente alterados. Genéticamente alteradas por um simples motivo ; as prostitutas não têm menstruação ( o período, o chico, o xixi do benfica etc,  duh !! ) como o resto das mulheres. Trabalham na sua labuta 30 dias por mês, não têm dores de cabeça nem más disposições e estão sempre prontas para a acção, ao contrário da dona de casa que uma semana por mês fecha para manutenção, é imune aos efeitos do ben-u-ron e parece que todos lhe devem e ninguém lhe paga ao contrário da prostituta que diz e muito bem, "Dinheiro na mão, calcinha no chão !". As diferenças não ficam por aqui, enquanto a dona de casa faz a comida para o marido , a prostituta é comida pelo marido. Acho um acto bárbaro considerarem a prostituição uma actividade ilícita, obscura e de conduta imprópria, quando estamos a falar de pessoas com coração, que passam dificuldades na vida, passam frio e que por vezes um simples gesto ou uma palavra amiga e carinhosa  como "Quanto é que é ? " , podem fazer a diferença a estas senhoras a quem eu apelido de PUTAS -  Protagonistas Unicas de Transferência de Amor e Sexo . Mas enganam-se aqueles que pensam que estas senhoras só se encontram na rua, pois há registos confirmados em actos e eventos políticos (um abraço para ti Berlusconi !), em estágios  de selecções nacionais ( que o diga Deco e companhia . . ) e em serões de lazer e amena cavaqueira entre arbitros e dirigentes desportivos ( Bobby . .  Tareco . . busca busca mata mata . . ).
Existem ainda os bordeis. É um local mítico que já vem desde os tempos dos romanos, e que hoje em dia mais parece um supermercado que outra coisa qualquer, senão vejamos; se eu quiser fazer compras para casa, muito provavelmente tenho de ir ao talho, à peixaria, à frutaria, à padaria  e por aì em diante, tendo em conta que cada um fica numa ponta do bairro, o mais certo é perder 2 ou 3 horas, pisar 4 cagalhões de cão (ou de dinossauro tendo em conta o volume de alguns destes objectos . . ) e dar cabo dos joanetes. O supermercado veio simplificar as coisas, pois temos tudo num só sitio. O bordel funciona com a coisa na mesma base, pois temos todos os artigos expostos no mesmo local, vêmos, escolhemos, comparamos preços, pagamos e só não levamos para casa porque a patroa era capaz de não achar muita piada ao ver-nos entrar de mão dada com a mercadoria :
- Oh Zé, eu digo-te para ires ao Pingo Doce comprar pão e tu apareces-me aqui em casa com essa galdéria ?!
- Dizer até disseste Maria, mas é que em vez de ir ao Pingo Doce comprar pão, fui ao Pito Doce comprar carne . . .

sábado, 21 de novembro de 2009

A Farmácia





Se há figuras que nos têm acompanhado através dos tempos, o farmacêutico é uma delas. Desde as mezinhas da Dona Gertrudes que tanto curavam hemorróidas como dores de dentes, às plantas , plantinhas , folhas e folhinhas que apenas com uma gota do seu sumo conseguiam curar unhas encravadas, dor de burro, pneumonias e em último caso até conseguiam fazer ressuscitar as pessoas. Fantástico ! Admiro aqueles que acreditam nisto sem precisarem  tocar em qualquer tipo de bebida alcoólica. Para mim, e para muitas crianças da minha geração e de gerações passadas e quiçá, de gerações futuras, o farmacêutico será sempre aquela pessoa que nos dá coisas para enfiarmos pelo cú acima. Vocês perguntam então, e com muito direito (e um bocado de esquerdo também . .), será aquele senhor da Sex Shop um farmacêutico ?! Eu respondo que não, pois o tipo de coisas que ele lá vende para enfiar-mos pelo dito cujo acima, são mais num espirito de desentupimento do que profiláctico. A farmácia é uma segunda casa para pessoas acima dos 70 anos, pois juntamente com os balcões da Caixa Geral de Depósitos, são os locais onde passam mais tempo logo a seguir às suas próprias habitações. Estes apanham correntes de ar de propósito com o intuito de ficarem doentes só para poderem ir à farmácia aviar uma aspirinazita e desta maneira terem contacto fisico com outro ser humano sem ser a Julia Pinheiro nas 'Tardes da Júlia'. Temos de consciencializar as pessoas que os farmacêuticos são farmacêuticos e os médicos são médicos; as pessoas têm a desagradável tendência para correrem para as farmácias chatear os profissionais que lá trabalham e mostrar partes do corpo que nem em privado e nem na escuridão da noite o deveriam fazer. Para isso existem os médicos, é a ordem lógica das coisas , 1º lugar vai-se ao médico, ele dá um papelinho que comprova a nossa presença no local e depois sim, com esse papel vamos à farmácia, onde rezamos a Deus nosso senhor, ao Alá , ao Buda , ao Jeová e até ao Pastor Ezequiel a quem deixamos 20€ cada vez que lá vamos, para que ele não nos dê o dito cujo de enfiar na porta de saída do nosso organismo. Claro que se nos chamarmos Castelo Branco a coisa muda de figura, e até uma simples aspirina é enfiada em sítios que o comum dos mortais apenas usa para se sentar.
Existe uma ideia, a meu ver errada, de que os farmacêuticos estão um degrau abaixo dos médicos numa pseudo-hierarquia, pois limitam-se a vender o  que os 'xô doutores' escrevem num papelinho com uma letra que só eles mesmos conseguem decifrar. E essa sim, é a parte complicada do curso de medicina, conseguir escrever 'à lá médico', daí o curso ser tão longo. O que os médicos fazem tambem eu consigo fazer; se olhar para a garganta e ela estiver vermelha e com pontos brancos, sei que é preciso um antibiótico. O dificil,e daí eu dizer que os farmacêuticos são mais importantes que os médicos,é curar a doença. Quem tem a faca e o queijo na mão, ou neste caso, os ben-u-rons e os aspegics, são os farmacêuticos. Não é aquele papel cheio de hiéroglifos dos médicos, mas sim aqueles comprimidinhos brancos maravilhosos que pomos na boca (ou noutros sítios, deixem lá o Castelo Branco em paz pá . . ) e ficamos bons.
Uma coisa que nunca percebi e muito provavelmente jamais irei perceber, é o porquê dos farmacêuticos prepararem os antibióticos às pessoas. "Faça-me um favor, prepare-me o antibiótico", por amor de Deus, será assim tão difícil pôr 3 dedos de agua da torneira num frasco que por acaso até tem lá uma setinha a indicar até onde devemos pôr a dita cuja ?!
Havemos de chegar a um ponto em que juntamente com o antibiótico também damos ao farmacêutico aquele par de peúgas fedorentas e rotas no dedão para ele dar um pontinho ou pior ainda, depois de comprar uma caixa de supositórios, pedir uma ajudinha para dar um empurrãozinho ao missil de paracetamol para ele entrar na rampa de lançamento . .


quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Gripe . . A ?



Começo a ficar um pouco aborrecido com tendência a ficar extremamente aborrecido a longo prazo com esta história da Gripe A. A razão principal não se prende com a doença em si, até porque ranho, febre e cagar fininho nunca fez mal a ninguém, mas o que me aborrece mesmo é o facto de se ter desperdiçado uma oportunidade única neste século de se dar um nome fantástico a esta doença. A gripe é uma constipação mais atrevidota, um resfriado com tuning. Porquê Gripe A ? o "A" é uma letra inofensiva, faz parte de palavras como Amor, Amizade, Adoro-te , entre outras . . era muito mais agressivo e apelativo, se por exemplo lhe chamassemos de  Gripe X . .  ou Gripe Z. Isto já para não ir ao extremo de lhe dar com o latim e lhe chamar Gripis Mortális ou coisa do género. Os antigos tinham mais originalidade na escolha dos nomes para as catástrofes epidémicas. Vejam lá se não chamaram à falta de vitamina C de Escorbuto! A Peste Bubónica por exemplo, se fosse nos nossos dias, muito provavelmente se chamaria de Peste B, ou a Peste Negra teria o nome de Manchinhas Escurinhas . .
Claro que a Gripe mata. Principalmente se dermos um tiro na cabeça e tivermos a gripe, claro que ela mata. Em Portugal a coisa funciona um pouco ao contrário; as pessoas vão ao hospital fazer tratamentos para melhorar a visão e saiem de lá cegas; recebem transfusões de sangue para salvar as vidas e de facto salvam as vidas, esquecem-se é de dizer que para isso temos de gramar o resto da vida com doenças incuráveis que fazem parte daquelas 2 ou 3 litrosas de sangue que nos injectaram. Agora pergunto eu ; se um gajo quisesse aumentar o pénis (ehhh calma lá, não tenho nada a ver com isso é só um exemplo , sempre fui conhecido pelo Barrote) supostamente ia ao médico pedir que lhe tirasse uns centímetros à posta de pescada para depois, no final, sair da sala de operações parecendo um autêntico Mastim Napolitano. As pessoas deviam ter muito medo de tomar o Tamiflu, pois seguindo a lógica, o mais certo é ficarem com ranho, febre e diarreia para o resto das suas vidas. No que toca à Gripe A propriamente dita, há uma coisa que a população não sabe. Dizem os especialistas para se usar uma mascara na boca e nariz para impedir a propagação do bichinho pelo ar, mas pelo que eu já vi, este propaga-se mesmo pela maça de Adão, aquele alto que temos na garganta, pois as pessoas usam todas as máscaras no pescoço. Estupidez ou conhecimento de facto ? Se estivessemos a falar de outro povo que não o português, eu hesitaria em responder a essa questão, mas como não estamos , cheira-me mesmo que é a bela da pura e dura estupidez lusitana, em latim estupidis lusitanis . . .

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Jogador de Futebol


É aquela profissão que 99,9% da população mundial quer que os seus filhos tenham no futuro, à excepção do Papa que muito provavelmente ambiciona que um descendente seu ande vestido com uma bata branca e com um pratinho de sobremesa na cabeça. Dinheiro, fama, luxo e luxúria, uma combinação mais forte que lixivia com amoníaco é aquela que as estrelas do futebol teem. Fala-se que ganham balurdios, somas astronómicas de dinheiro que fazem confusão (um sinónimo de inveja . . ) a muita gente. A meu ver, o jogador de futebol é mal pago; mal pago porquê? tomemos o Cristiano Ronaldo como um exemplo mais próximo da nossa realidade. O Real Madrid pagou 94 milhões de euros pela sua transferência. As pessoas acham um exagero, um absurdo; eu acho que o Real se esqueceu que o rapaz também precisa de comer - a escravidão já acabou - e se eu fosse ele, fazia queixa à FIFA . 785 milhões de euros é o valor que para mim, fazia justiça á transferência do Cristiano . Fazendo um simples mas intenso exercício de contas, vou provar que o Cristiano passa dificuldades na sua vida, tudo em prol de achar giro dar biqueiradas a um pedaço de couro sintético arredondado em direcção a uma rede de pesca artesanal segura por 2 postes de ferro. Não tem residência fixa, hoje está em Espanha, daqui a 6 meses pode estar na Guiné-Conacri, o que o impede de ter uma vida amorosa estável, quanto mais uma família convencional. Refugia-se pois em casos amorosos furtuitos e fogazes com jovens que após descobrirem que ele desconta sobre o salário mínimo (450€) IRS, o largam e se dedicam à bruxaria ! E sim, o contabilista que lhe trata do IRS é o mesmo do Manuel Damásio . . .
Não é fácil acordar todos os dias as 7h da manhã após ter estado na noite anterior até as 5h30 a ver apanhados no youtube e a consolar jovens mulheres com problemas familiares e de afecto( ainda há pessoas como deve ser . .) para depois ir cheio de sono levar caneladas , pisadelas, encontrões, cotoveladas e limpar a relva com a cara . É duro. Eu próprio, nas últimas vezes que joguei à bola,  o máximo que consegui ganhar foi 6 hematomas, 3 equizemas, 2 luxações, 1 osso partido, 10 arranhões , umas quantas esfoladelas e por uma ou duas vezes fiquei com uma comichão bastante irritante e persistente em locais que já nem me lembrava que existiam no meu corpo. Temos depois os fãs - ah pois é, os fãs - , que perseguem os jogadores como uma mosca persegue . . hummmm . . . . . aquilo que as moscas perseguem, seja lá o que isso for. Eles agarram, apertam, beijam etc .. e quando a estrela se dá conta já tem os sapatos de 2000€ cheios de marcas de Hawaianas, já tem as calças D&G , o cinto Louis Vitton, a camisa Armani, o casaco Cavalli, o relógio Rolex, os óculos Armani e aquele último modelo Nokia de TouchScreen que torna o simples acto de fazer uma chamada uma luta diária, completamente arruínados, o que faz com que cada vez que um jogador como o Cristiano saia à rua, deite fora 15 mil € de roupa devido ao assédio dos fãns. Logo, se sair 2 vezes à rua por dia, é menino para gastar 30 mil € por dia em vestuário, multiplicando por 30 dias do mês dá 900 mil € !!! Se ele ganhar cerca de 1 milhão de euros por mês, sobram-lhe 100 mil € para pagar àgua luz e gás (isto se for da companhia, porque se for botija de gás tem de pagar para lhe irem lá levar a casa, mais 5€ do transporte..) alimentação, Tvcabo, telémovel, prestação da casa e dos carros e por aí fora. As pessoas teem a ideia que os jogadores são exibicionistas e compram todos grandes bombas e esbanjam dinheiro em carros; ERRADO ! Porquê ? Já imaginaram o Cristiano a fugir dos paparazzi de Fiat Uno ?? Os Ferraris, os Bentleys, os Lamborghinis são uma necessidade para qualquer alvo de câmeras indiscretas. Estas câmeras indiscretas, ou paparazzi, são para mim a segunda pior coisa que pode acontecer a qualquer ser humano em público, logo a seguir à diarreia . . .

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Escutas Telefónicas



Hoje em dia está na moda falar-se em escutas telefónicas. Escutar é feio , pelo menos é o que sempre me ensinaram e a não ser que tenham acrescentado alguma alínea ao ditado popular onde se diga "a) com excepcção dos telemóveis ", ouvir as conversas dos outros não se faz .O ser humano encontrou no telemóvel a pior arma de destruição jamais criada; bombas atómica, misseis terra-ar, armas biológias, todas estas são como bisnagas de água para crianças quando comparadas com o telemóvel. O gatilho das armas de guerra, o famoso botão vermelho que detona as bombas, o rastilho de pólvora que faz rebentar a dinamite não conseguem chegar aos calcanhares de, nada mais nada menos que : botão verde dos telemóveis. Talvez este aparelho tenha raízes diabólicas, pois ao telemóvel se combinam crimes, actos de vandalismo, atentados etc, mas ao mesmo tempo pode estar virado para a paz e o amor, que o diga Berlusconi que usava o seu telemóvel para combinar encontros de sociabilização com senhoras de trabalho dúbio e de preferência com várias ao mesmo tempo. Em Portugal, como em tudo o resto, a história é outra. Temos 2 grandes nomes no panorama das escutas nacionais ; José Sócrates e Pinto da Costa. Este último pode-se queixar que as escutas lhe tenham arruínado o futuro - não o futuro no futebol, mas o futuro como Rei da Fruta e dos Legumes - pois o segredo mais bem guardado do Norte eram os planos que o Don Pintone da Costa tinha para construir uma cadeia de frutarias, arrisco mesmo a dizer uma multinacional dada a quantidade de frutas que ele tinha nas escutas. Que o futuro deste senhor passa por uma cadeia não restam grandes dúvidas, agora se será de frutas é que já ninguém põe a mão no fogo. Sócrates é até à data, o Cristiano Ronaldo das escutas em Portugal. Não há pai para ele, colecciona escutas como o Cristiano Ronaldo colecciona namoradas. Ao que parece é um cidadão extremamente honesto e idóneo que tem como calcanhar de aquiles só ter amigos corruptos com os quais mantém conversas desonestas sobre temas potencialmente ilegais e proibidos . . . É o Emplastro das escutas, pois está em todas, aparece sempre em 2º plano atrás dos outros e quando damos conta já não está lá e ninguém sabe o que lhe aconteceu. Fica uma curiosidade no ar; quem constrói é construtor, quem investiga é investigador, e quem escuta é . . escutador?

Sondagem nº 1



Após cada sondagem estar terminada farei aqui o meu comentário sobre os resultados bem ao estilo Marcelo Rebelo de Sousa mas sem que a minha língua toque nos dentes da frente e sem aqueles gafanhotos gigantes que fazem da boca do Prof. Marcelo um canhão pronto a dispará-los. Das 4 candidatas a capa da Playboy, Manuela Ferreira Leite, Odete Santos, a mulher de Jorge Sampaio e Cesária Evora, só uma podia vencer, e para grande espanto meu a vencedora foi Odete Santos com 57% dos votos! Devo dizer que fiquei completamente estupefacto com esta vitória , aliás, devo dizer que fiquei completamente estupefacto pelo simples facto de 4 pessoas terem votado nela ! Aliás, devo dizer que fiquei completamente estupefacto por ter havido pessoas a votar sem ser eu , isto porque até eu próprio hesitei bastante mas depois pensei que era capaz de dar mau aspecto um gajo não votar numa sondagem que fiz para o meu próprio espaço de comunicação difamatório (blog . .) . Estas 4 senhoras, que diga-se passagem são o sonho de qualquer individuo que tenha um Golden retriever, uma bengala e use oculos escuros, causam-me arrepios só de pensar como seriam as capas das Playboy's em que entrassem; a líder do PSD, Manuela Ferreira Leite iria aparecer na capa com o colar de pérolas da sua Tetravó. A questão de fundo é a seguinte: onde iria ela colocar o colar ?! Muito provavelmente ao pescoço suas mentes perversas! A esposa de Jorge Sampaio( o nome dela não é em nada relevante pois será sempre 'a mulher do sampaio') coloca a dúvida se a capa dela seria para a Playboy ou para a Playgirl, pois em tantos anos de governo de Jorge Sampaio, nunca consegui perceber qual o sexo desta senhor(a) . Quanto a Cesária Evora devo dizer que, para mim, é sem margem para dúvidas umas das mulheres mais feias do sistema solar , e quando digo sistema solar englobo planetas como Marte, júpiter, Saturno, Urano etc . . e não sei porquê mas cheira-me que as 'uranianas' não são grande espingarda. A grande vencedora foi a deputada do PCP, Odete Santos, que para mim não tinha lugar nem na revista Gina. A grande questão que coloco aqui às 4 pessoas que votaram nela é a seguinte : Mas que raio de comprimidos é que vocês andam a tomar, hãn?! ou  será falta de medicação ?!?